PROCURAR neste blog

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

Matriarcado

Considerando o consenso de que os conceitos bíblicos colocam o homem e a mulher como complementos, podemos compreender que a função fálica de indicar o caminho e transcender cabe ao homem submetendo-se a D'Us. A mulher enquanto matéria, reprodução, permite a "consolidação" desta transcendência, construindo os benefícios de gerações em gerações.

Mesmo que a mulher tenha o dom de profecia (mostrar as coisas de D'Us), a interface de socialização é masculina, seja o pai ou o esposo. Até mesmo aquilo que para nós é tão óbvio: cuidar das criancinhas... ensinando na igreja, tanto crianças, como adolescentes... na bíblia temos orientação justamente inversa, onde Jesus, homem, barbudo, diz para deixarem as crianças chegarem mais, e não levá-las para a classe dos infantes.

Visto quão distante é nossa compreensão do que seja a diferenciação sexual daquilo que as escrituras trazem, sugiro que seja aberto um novo tema onde possamos especificar o matriarcado como o pecado original, de acordo com Gênesis 03:17. Deixo um arquivo onde coleto as leis referentes à feminilidade http://luizmeira.com/female.htm

Este é um tema aflitivo, pois vejo as pessoas sofrendo o tempo todo por isso, e acabam morrendo por esta causa: sexualidade doentia (Doenças do sitema Gênito-Urinário: Câncer de próstata, de mama, de útero; litíase renal; infecções urinárias; insuficiência renal, cistos em ovários e testículos etc).

De acordo com Gênesis 03:17 vemos literalmente que o pecado original foi o homem ter feito a vontade da mulher. Com isso temos a inversão dos papéis, pois a função fálica de indicar o caminho é masculina, e de submeter-se ao cônjuge, feminina. Ao assumirmos esta inversão em nossas posturas cotidianas, estamos pervertendo a Criação Divina, assim arcamos com tristes conseqüências no âmbito pessoal, e comprometemos a dinâmica social em direção ao materialismo (feminino).